Quociente de Aprendizagem: futuro indicador da tua empregabilidade

O que é e qual a relação directa com a Universidade

A inovação tecnológica ocorre a um ritmo alucinante. Aquilo que hoje sabes, amanhã pode tornar-se obsoleto (talvez esteja a exagerar, ou talvez não…). Por isso, por mais elevado que seja o teu QI, ou o Quociente Emocional (QE), as empresas voltam-se cada vez mais para o Quociente de Aprendizagem (QA). Ou seja, a tua capacidade de aprender coisas novas em pouco tempo.

Quociente de aprendizagem

Universidade e graus académicos para quê?

Quando pensava ir para a Universidade ouvia que de lá não saímos a saber fazer, mas a saber aprender. Por isso, uma empresa contrata um licenciado e esse possui uma capacidade de aprendizagem superior a alguém que não tenha frequentado o ensino universitário.

Depois, quando fiz o Doutoramento, disseram-me que a definição desse grau académico é a de que ficamos preparados para aprender qualquer coisa. Mesmo que seja um assunto radicalmente diferente daquele que foi o tema do Doutoramento. De facto, apesar de ter feito um Doutoramento em Engenharia Mecânica escrevi já artigos no âmbito da filosofia para a qual não tinha qualquer formação senão a básica.

Podes questionar-te sobre a utilidade de certas disciplinas no teu curso, sobretudo no contributo que podem ter, ou não, na tua vida profissional. Mas a realidade é que todas servem, acima de tudo, para ajudar-te a desenvolver a capacidade de aprender e elevar o teu Quociente de Aprendizagem.

Quociente de Aprendizagem – o que é

No site dedicado a este indicador, a “Aprendizagem” define-se como “o desejo e a capacidade de rapidamente crescer e adaptar um conjunto de capacidades que possuímos, de modo a mantermo-nos empregáveis ao longo do período da vida em que estamos activos no trabalho.”

A ideia deste Quociente de Aprendizagem é avaliar o teu perfil quanto à capacidade que tens em aprender coisas novas e ajudar-te a compreender como podes melhorar essa capacidade. No caso das empresas serve como indicador de apoio à decisão em projectos de desenvolvimento, bem como indica a agilidade e mobilidade do trabalhador, e mede ainda a motivação de auto-desenvolvimento dos seus empregados. Assim, existem três dimensões deste Quociente.

  • Aventureiro: alguém que tem o desejo intrínseco de explorar;
  • Intelectual: alguém motivado para aprender;
  • Não-convencional: aquele que questiona o status quo.

A ideia seria equilibrar e potenciar ao máximo estas três dimensões.

Universidade = Oportunidade

Quando soube deste indicador pensei logo na Universidade como o lugar privilegiado, e período da vida, em que mais podes desenvolver este indicador.

Por vezes pensas sobre a utilidade de certas disciplinas, ou na razão de estares a aprender coisas tão diferentes dentro do mesmo curso. Mas agora sabendo do Quociente de Aprendizagem e de como será um indicador de desempenho que, num futuro próximo, as empresas usarão cada vez mais como critério de decisão e escolha de alguém para uma determinada posição, tudo o que vives no ensino universitário serve para aumentar esse Quociente.

Podes começar por conhecer o teu QA (LQ – Learnability Quociente) aqui: https://www.learnabilityquotient.com/en


Questão: que resultado obtiveste no QA? Partilha, se quiseres, nos comentários abaixo.

Professor Universitário e Investigador do Departamento de Engenharia Mecânica da Universidade de Coimbra.