O desafio do relacionamento entre Professor e Estudante

Um ponto-chave do sucesso académico

As duas maiores observações feitas por alunos nos últimos inquéritos pedagógicos do Departamento onde leciono foram a qualidade pedagógica e o método de avaliação. Por qualidade pedagógica entende-se, por exemplo, a forma como o Professor dá as aulas e o método de avaliação prende-se, também por exemplo, com o intervalo curto ou inexistente entre realizar uma prova e saber a nota. Por detrás destas dificuldades está algo essencial: o relacionamento professor-estudante.

Relacionamento professor-estudante

Em inquéritos pedagógicos como estes o que me interessa são mesmo as dificuldades que os alunos apontam. A primeira tendência pode ser reagir centrado em mim, como docente, e pensar que os alunos deviam proceder de modo diferente. Mas cedo me dou conta de que não chega exigir dos alunos uma postura diferente, se não exigir também da minha parte uma postura diferente.

 

Relacionamento professor-estudante: o ponto chave

Na prática tudo se resume ao relacionamento professor-estudante.

E em primeiro lugar é importante que exista. Se na Universidade o responsável pela formação de um estudante é ele próprio, o professor acaba por ser um orientador no aprofundamento dos conhecimentos de que ele precisa para se torna um profissional de sucesso.

Se esse relacionamento assentar sobre um respeito recíproco, qualquer aluno pode partilhar as dificuldades que tem com a disciplina ao professor. Talvez o mais importante seja o tom de voz com que o faz. Um tom de voz e linguagem que demonstrem respeito é o primeiro passo para ser acolhido. O inverso (do professor em relação ao estudante) é também válido.

 

Qualidade pedagógica

Quando tens uma impressão negativa sobre a qualidade pedagógica do Professor, em que pensas?

Na maneira como ele dá as aulas?

No material (ou ausência dele) que ele (não) disponibiliza?

Na capacidade de escuta das tuas dúvidas e de ele as esclarecer?

No interesse que o Professor demonstra pelo assunto que procura ensinar?

Todos temos uma personalidade característica e essa produz impacte no relacionamento professor-estudante. Por detrás de algumas destas questões está mais um questionar a personalidade do Professor do que a sua qualidade pedagógica. É verdade que o modo como se apresenta a matéria é importante. Também o material disponibilizado, a capacidade de esclarecimento de dúvidas e o interesse. Mas quando algum destes não existe e tens dificuldade em chamar a atenção do Professor, o que fazer?

Sê paciente e constrói o relacionamento Professor-estudante que for possível construir. Por detrás de um Professor está uma pessoa que lida também com as suas limitações, desafios pessoais e profissionais.

 

Método de Avaliação

A forma de avaliar os estudantes é um dos componentes mais difíceis e desafiantes do Ensino Universitário. Quantas vezes se avalia mais a capacidade de concentração, de lidar com a ansiedade, ou outros factores exteriores, do que os conhecimentos – propriamente ditos – que tens sobre a matéria.

Por um lado, construindo um relacionamento de abertura com o teu Professor, no respeito mútuo, podes sempre expressar as dificuldades que sentes com o método e pedir conselho.

Por outro lado, o acumular de exames é um resultado directo de disciplinas que vão ficando para trás. Se não houvesse repetentes, não haveria qualquer problema com o calendário de avaliações, certo?

Mas isso é praticamente inviável.

Creio que a solução passa por uma organização do tempo de estudo diário ao longo do semestre e durante a época de exames. Foi para isso que criei o KeepUp. Experimenta e conta sempre comigo para esclarecer as tuas dúvidas 🙂


Questão: quais são para ti as maiores barreiras ao relacionamento entre Professor e Estudante?

Professor Universitário e Investigador do Departamento de Engenharia Mecânica da Universidade de Coimbra.