Apreendedorismo e o que precisas para desenvolver um espírito apreendedor

Não sei o que as empresas, actualmente, mais procuram. Se alguém com espírito empreendedor, ou antes “apreendedor.” O ritmo de evolução tecnológica força um ritmo de adaptação às novas tecnologias que se torna alucinante. As pessoas nas empresas devem possuir, cada vez mais, uma capacidade de aprender desenvolvida, e uma elevada motivação intrínseca em querer aprender. A isto chamaria de apreendedorismo.

apreendorismo

Quais as qualidades necessárias no apreendedorismo para desenvolver em ti um espírito apreendedor?

 

Atenção

Se não tens bem desenvolvida a capacidade de te concentrares, o processo de aprendizagem existe, mas é lento. E hoje em dia fala-se não de desenvolver essa capacidade, como também de a gerir.

Desenvolver a tua atenção implica estar cada vez mais ciente das suas fontes, ou seja, as distracções. Actualmente essas são as notificações sistemáticas que recebes em todos os dispositivos electrónicos, ou mesmo o acto que se torna involuntário de pegar no telemóvel, abrir o browser ou o e-mail, de cada vez que sentimos a resistência em qualquer processo de aprendizagem.

Para isso, saber gerir a atenção torna-se fundamental. Diz a especialista nesta área, Maura Thomas, que a

“gestão da atenção é a prática de controlar as distracções, estar presente no momento, encontrar o foco é maximizá-lo, de modo a libertar o teu génio.”

Para isso recomenda o controlo da tecnologia, ambiente, comportamento e pensamentos. Algo que valerá a pena explorar melhor num artigo futuro.

 

Curiosidade

Esta característica humana é a grande impulsionadora do espírito apreendedor. O curioso sabe questionar e está aberto a novas experiências. Isso permite-lhe encontrar modos de superar a rotina, gerar ideias e tolerar a ambiguidade das coisas. O resultado é o desejo sistemático de investir intelectualmente na aprendizagem ao longo da vida, tornando-se, assim, num grande apreendedor.

 

Resiliência

Não é fácil aprender, pois, o apreendedorismo exige esforço e dedicação. Exige que trabalhemos mais o lado lento do cérebro, de acordo com a terminologia de Daniel Kahneman. Se formos resilientes quando procuramos aprender algo de novo, e persistimos, desenvolvemos o espírito apreendedor.

 

Humildade

Nem sempre sabemos tudo. E se o passo de evolução tecnológica for superior à capacidade de o acompanhar, é muito provável que chegues, frequentemente ao ponto de não saber alguma coisa.

A humildade é a qualidade de o reconhecer e estimula a dar o primeiro passo para iniciar um processo de aprendizagem. Depois, a curiosidade, atenção e resiliência farão o resto.

 

Vulnerabilidade

Ser um grande apreendedor expõe-te diante dos outros. Se há quem possa admirar a tua capacidade de aprendizagem, há quem espere até ver-te falhar. São os que deixam a inveja dominar e abafar o potencial apreendedor.

Há quem associe a vulnerabilidade com emoções que queremos evitar como o medo, a vergonha e a incerteza, mas – de acordo com a socióloga Brené Brown – a vulnerabilidade é, também, o lugar onde nasce a alegria, o sentido de pertença, a criatividade, a autenticidade e o amor. Tudo qualidade essenciais para o apreendedor.

São estas as qualidades que penso serem necessárias ao desenvolvimento de um espírito apreendedor que faça diferença no mundo tecnológico actual. Qualidades para elevar o teu Quociente de Aprendizagem.

Atenção, curiosidade, resiliência, humildade e vulnerabilidade.

Professor Universitário e Investigador do Departamento de Engenharia Mecânica da Universidade de Coimbra.